Autora Parceira + Entrevista: Lycia Barros



1- Poderia se apresentar aos leitores do blog?
Bem, meu nome é Lycia Barros, tenho 34 anos, sou casada e tenho dois filhos. Cursei a faculdade de Letras na UFRJ e hoje trabalho com importação de alimentos. A escrita é para mim, por enquanto, uma atividade secundária. Porém algo que desejo pelo resto da vida. Amo ficar com a família, jantar com meu marido e conhecer lugares novos. Também amo minha própria companhia, sou um pouco solitária.

2- Quando você começou a pensar em escrever, e por quê?
Comecei por acaso. Na verdade estava no meio de uma depressão. Comecei a escrever para mim como uma novelinha pessoal, pensando na mensagem que gostaria de dar aos meus filhos. Como tenho muitas irmãs adolescentes, elas começaram a ler e se apaixonaram pela estória, me incentivando a terminá-la. E foi o que fiz.

3- Além de escritora, você tem alguma outra atividade profissional?
Sim, sou representande de uma empresa de importação de alimentos.

4- Como foi o início da carreira? A família e os amigos apoiaram?
Ao acaso. Quando terminei o livro dei para algumas pessoas lerem, todas me incentivaram muito a mandar para as editoras. Eu não estava disposta a pagar para publicar o livro então segui os caminhos mais formais e mandei originais para várias editoras. Duas semanas depois uma me respondeu. Nem acreditei.

5- Como você encara o cenário literário do Brasil atualmente?
Muitos novas carinhas estão surgindo por aí, gente muito talentosa, mas que precisa dar duro pra batalhar por um espaço. Me entristece entrar nas livrarias e ver as mesas principais dominadas por estrangeiros. Mas aos poucos, creio que a mente dos nossos leitores se abrirá mais para esses novos autores, que não perdem em nada para os estrangeiros. Só aí as editoras também vão se tocar.

6- Os livros mais vendidos do Brasil são, sem dúvidas, estrangeiros. Isto parte de um preconceito contra a literatura nacional arraigado há gerações ou crê que haja falta de divulgação e valorização por parte das Editoras?
Com certeza, as editoras não investem quase nada em divulgação de autores nacionais, só quando já são celebridade. A mídia é tudo. Poderíamos estar muito adiante com o apoio das editoras. Os autores nacionais tem que se coçar muito para divulgar o seu trabalho, senão, morrerão na praia. Por melhor que a obra dele seja.

7- Como foi a publicação de seu livro?
Um enorme prazer. Como eu disse, minha resposta veio super rápido. Minha editora, Janaína, é um doce de pessoa e me assessorou em tudo. Além de ser apaixonada pela estória, me contagiou em todas as etapas. Nesse ponto não posso reclamar, o pessoal da minha editora foi nota dez e me deixou palpitar em tudo do livro. E conseguiram lançá-lo no mesmo ano. Foi incrível. Foram todos muito amáveis e flexíveis, sou muito grata à eles.

8- Como escritora, você deve ler muito. Quais são as maiores referências para você? Alguma escola literária o marcou nesta jornada?
Bem, amo ler romances em geral, mas também leio muita coisa de auto ajuda. Como romancista, sou fã de carteirinha de Richard Matheson. Mas leio um pouco de tudo.

9- Dizem que os primeiros livros são um pouco autobiográficos. Isto se aplica a você? Os personagens foram baseado em pessoas do seu convívio?
Sim e não. Reuni experiências próprias e de alguns amigos para montar as cenas e os personagens. As coisas não aconteceram exatamente daquele jeito, mas tem muito fundo de verdade. Como fui orientadora de mulheres por muito tempo, aprendi muito com as expriências delas. Todos os meus livros terão uma pitadinha disso. Acho que por isso as pessoas falam tanto na verosemelhança do livro.

10- A sua jornada como escritora apenas começou, creio eu. Qual é o seu maior intento? Qual o maior sonho em sua vida de escritor que ainda não realizou?
Viver disso...rsrsrs a melhor coisa da vida seria poder trabalhar só escrevendo no Brasil. Quem sabe não chegamos lá.

11- A Arte de capa de seu livro foi sua idéia ou teve a sua colaboração? Aproveitando a pergunta, além do texto, quais foram as suas contribuições para a edição de seu livro?
Contribuí em absolutamente tudo. Ouvindo e dando sugestões. Saiu tudo do jeito que eu queria.

12- Quanto tempo levou para escrever seu livro? Há pessoas que certamente revisaram. Qual o papel delas no projeto do livro, ou seja, quanto elas contribuíram efetivamente para a construção do livro até o momento da publicação?
O livro está exatamente como no meu original. Incluí eu mesma somente uma página por que, por sugestão da editora, precisava abordar algo mais profundamente. Mas não ouve necessidade de mudanças.

Muito Obrigada, Lycia!

Share this:

COMENTÁRIOS

1 comentários:

  1. Oi Ana, parabéns pela parceria e pela sua entrevista. Bem legal!

    Beijoss

    ResponderExcluir